Obama fez seu discurso de encerramento de mandato no dia 10 de janeiro de 2017 e mais uma vez deu um show à parte com a sua oratória. Mas o que é mesmo que faz de Obama um excelente orador e como podemos aplicar isso às nossas falas, sejam discursos, apresentações em reuniões, em salas de aula, pequenas palestras e etc?

Ponto um: tranquilidade. Essa característica, na verdade, deveria se chamar demonstração de tranquilidade, porque nem sempre estamos tranquilos em frente ao público. Ou melhor, quase sempre, falar em público vai causar um frio na barriga, mas demonstrar-se seguro e confiante é uma característica fundamental do orador. O público quer ver uma pessoa segura e que domine a cena. Demonstre isso, mesmo que não esteja cem por cento seguro e provavelmente você ficará bem mais seguro e melhorará a sua apresentação.

Ponto dois: leveza. Apesar de apresentar um olhar sempre firme, com um sorriso grandioso e os gestos sutis mais determinados, Obama, em seu conjunto da obra, demonstra ser uma pessoa que se comunica com leveza. Podemos aprender tudo isso através de práticas simples, são elementos corporais que representam boa parte da comunicação que transmitimos. Falar com leveza faz seu público seu público ficar mais atento e poder absorver mais daquilo que você diz.

Terceiro ponto: paixão. Talvez o mais abstrato elemento desta lista, mas é o fator que faz a oratória ter mais cor e luz. Uma fala sem paixão é como um mar sem ondas ou como uma música sem variações, a paixão faz com que a oratória fique viva ou dinâmica. Se você ainda não está apaixonado pelo seu tema de fala, faça de tudo para se apaixonar antes da fala, pois isso faz toda diferença. A paixão de Obama encanta seu público e o encanto é o resultado superior de uma apresentação.

Quarto ponto: ritmo e pausa. Uma vez apaixonado, há uma tendência a acelerar o ritmo de fala e isso prejudicará o entendimento de quem o acompanha. Obama é mestre em equilibrar paixão, com ritmo cadenciado e boas pausas. Aplique isso e verá a diferença de concentração dos que o assistem.

Quinto ponto: empatia. Conhecer o público e se conectar com ele, buscando pensar o que o público pensa. Empatia gera uma conexão tremenda com aqueles que te escutam. Obama sempre buscava falar algo na língua local quando viajava para o exterior e contava histórias locais que gerava vínculo com as pessoas da região onde ele se encontrava. Além disso ele sempre buscava ver a vida pelos olhos do outro e isso, na minha perspectiva, é o maior diferencial dele como líder e orador.

Sexto ponto: respeito. Se comunicar com respeito aos adversários, aos menos informados, aos aliados, aos mais frágeis. Obama é mestre nisso. Neste último discurso como Presidente, ao citar o nome de Trump, surgiu uma vaia grande e Obama imediatamente pediu que parassem. Pois é, Obama é desses. Seja um desses também. O respeito gera muito mais admiração do que o ódio.

Quer aprender mais ainda com Obama e se comunicar com mais qualidade? Aproveito para te indicar um discurso fantástico que ele proferiu no Brasil no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, cujo link se encontra no fim do texto. 

Se você acha que a sua comunicação nunca será tão boa, deixo uma mensagem do próprio Obama: 

Yes, we can! 

Sim, nós podemos!

 

Link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=5Llo8fy9gGs

 

 

Gostou do artigo? Acompanhe nossas redes sociais e fique sempre informado sobre Oratória! 

Instagram: https://www.instagram.com/eloquenceoratoria/?hl=pt-br

Facebook: https://www.facebook.com/EloquenceOratoria/

LinkedIn: linkedin.com/company/eloquenceoratoria